>

sábado, 25 de junho de 2016

Indignados, leitores exigem o fim da fofoca e do machismo na imprensa

Eles querem que os colunistas do município ‘repensem seus papéis na sociedade’

No dia 11 desse mês, um jornal do município de Piraju publicou duas notas sobre um casal que, de acordo com o autor da publicação, possuem um relacionamento extra-conjugal. O teor ofensivo da nota repercutiu nas redes sociais e provocou indignação em inúmeros internautas.

Um grupo de leitores do jornal redigiu um texto endereçado “aos jornalistas e funcionários da mídia em Piraju”. Intitulado “Sobre a cultura da fofoca e o machismo na imprensa local”, o manifesto conta com a assinatura de 37 cidadãos.

Confira o texto na íntegra

“Cidades pequenas são conhecidas mundo a foto por serem redutos de mexeriqueiros, onde os detalhes íntimos da vida alheia são de domínio público. Não raro, alvos de falatórios nesses povoados, vilarejos e cidadelas acabam sendo hostilizados e humilhados por conta de particularidades de suas vidas privadas. Trata-se da ‘cultura da fofoca’, amplamente retratada na literatura, em novelas de época e, infelizmente, na vida real de muitos pirajuenses.

Na coluna social da edição do dia 11 de junho de um jornal local, pudemos observar a face mais desprezível dessa cultura da fofoca. Na ocasião foi publicada uma nota a respeito de um suposto adultério, segundo a qual uma empresária andava ‘atacando homens casados’ e ‘destruindo famílias’ na cidade. Além de não acrescentar nada de bom à vida de ninguém, o texto apresentou um teor excessivamente maldoso e machista, já que ofendeu unicamente a mulher envolvida no caso e poupou o garanhão de qualquer insulto.

Ao publicar um conteúdo tão baixo, o semanário ofendeu não somente a empresária em questão, como também das pessoas que se consideram dignas e autores da própria vida, especialmente as do sexo feminino, já que a mulher foi chamada pelo colunista social de ‘vadia’ e considerada a única responsável por uma suposta crise no casamento do ‘dono da picape Hilux’. Onde está a responsabilidade familiar masculina nesse caso? De acordo com a publicação, fidelidade matrimonial seria então um dever exclusivamente feminino?

Não bastasse o machismo, a nota apresentou também um conservadorismo datado (que mencionava termos como ‘justiça divina’ e ‘mulheres de bem’), digno de um romance de ficção do século 19, que até mesmo o mais conservador dos religiosos da atualidade faria ponderações ao utilizar, visto que estamos em 2016 e que o panorama cultural e social vivido pela maioria das pessoas é muito superior a esse tipo de pensamento.

Também na coluna social do dia 11, uma nota menor dizia que o ‘safado casal’ teria que se mudar da cidade para viver o relacionamento em paz. Admitir publicamente que o povo de Piraju é telespectador da vida alheia e não tem nada melhor para fazer além de julgar as pessoas ao redor é absurdamente inadequado e descabido, algo que foge completamente das atribuições da imprensa, mesmo numa coluna opinativa, como a social.

Solicitamos à imprensa local que atente em relação à perpetuação de preconceitos e machismo na sociedade de Piraju. Nossa cidade já é conservadora e preconceituosa o suficiente para que a mídia incite o ódio, o linchamento e a intolerância entre as pessoas. Num texto que cita ‘justiça divina’, é impressionante que o autor julgue acima do bem e do mal, algo bem distinto da humildade que Jesus pregava.

Os colunistas de Piraju precisam repensar seus papéis na sociedade e propor um jornalismo crítico e cidadão, e não preconceituoso e baseado em ódio e futricas, afinal de contas, os leitores NÃO PRECISAM SABER, não têm o direito de julgar alguém por cometer ‘pecados’ diferentes dos seus.”

uuSIGNATÁRIOS

Alanis Araújo, Alessandra Custódio, Ana Maria Ferreira, Antônio José Sanches, Bárbara Tani, Biane de Paula, Bruno Sanches Drummond, Camila Baptista, Camila Cury, Carla Fonseca, Carol Tavares Martins, Claudia Meira, Cibele Rodrigues, Cynthia Romao, Erik Sposito, Eva Lúcia Sanches Ferreira, Eva Toledo Leme, Felipe Ramos do Val, Gabriela Sanches Ferreira, Gisele Gil de Almeida, Isadora Reimão, João Victor Macedo, José Junior, Juliete Rosa Domingos, Laka Maria Ângela Dattoli Ramos, Marcelo Antônio de Lima, Natane Sposito, Nayara Lago, Nikki Soares, Naomi Oliveira Corcovia, Renata Ferreira, Rogério Martins Gonçalves, Rodrigo Ortiz, Sofia Furlan, Thomas Massola e Vanessa Pinheiro. 

Vigilância notifica responsáveis por posto de combustíveis desativado

Proprietários devem promover limpeza e interdição completa do local

A Vigilância Sanitária notificou os proprietários do extinto posto de combustíveis localizado na Avenida São Sebastião, Vila Cantizani. De acordo com o órgão, o imóvel está oferecendo riscos à saúde e segurança da população.

FOTO: Expresso Piraju

Assinada pelo chefe da VISA, Márcio de Oliveira, a notificação exige que os responsáveis providenciem a limpeza e vedação de todas as entradas, bem como o isolamento do imóvel. Segundo Oliveira, a interdição é necessária para evitar a presença de andarilhos no local.

Ainda de acordo com a notificação, os proprietários têm até quarta-feira, 29, para iniciar o cumprimento da determinação. Caso a ordem não seja respeitada, os responsáveis serão multados. A autuação pode chegar a R$ 45 mil.

VISITA

Na tarde de ontem, 24, a reportagem do Expresso Piraju visitou o local. Na oportunidade, dois moradores de rua, ambos dependentes de álcool, estavam no imóvel. Num dos cômodos, o blog constatou a existência de colchões e cobertores, além de inúmeros frascos de bebida alcoólica e restos de comida. A visita resultou em algumas fotos, as quais ilustram esta matéria. Confira logo abaixo.

FOTO: Expresso Piraju


FOTO: Expresso Piraju


FOTO: Expresso Piraju


FOTO: Expresso Piraju


FOTO: Expresso Piraju

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Acusado de matar jovem de 19 anos será julgado em julho

Vítima morreu após ser alvejada na nuca; réu era aluno da Polícia Militar

O julgamento do ex-aluno da Escola Superior de Soldados, Thiago Scaringe Poiato, 30, morador de São Paulo, acusado de matar Luiz Eduardo Sella, 19, será realizado no dia 20 de julho, às 10h, no fórum de Piraju.

Câmera do circuito interno de monitoramento do Hotel Beira Rio registrou a
presença de Thiago Poiato antes do crime (FOTO: Polícia Civil de Piraju) 

A sessão estava agendada para ocorrer no dia 15 desse mês, mas foi prorrogada por conta de uma convocação endereçada ao juiz que presidiria o julgamento. Entre os dias 13 e 17, o magistrado precisou fazer um curso de aperfeiçoamento.

No dia 21 de setembro de 2014, por volta das 16h20, Thiago efetuou um disparo de arma de fogo que atingiu a nuca da vítima. O crime aconteceu na Rua Augusto Garcia, Vila Tibiriçá. De acordo com o que foi apurado pela Polícia Civil, o ex-aluno agiu por motivo fútil e com recurso que dificultou a defesa da vítima.

Segundo o Ministério Público, “o investigado, acompanhado de sua esposa e mais seis pessoais, se dirigiu até as proximidades do Hotel Beira Rio e lá deixou seu veículo com a intenção de alugar um caiaque às margens do Rio Paranapanema”.

Luiz Eduardo Sella tinha 19 anos (FOTO: Internet)
O MP apurou que “a vítima se encontrava no local com alguns amigos. Ao retornar do passeio, iniciou-se uma discussão entre Thiago e a vítima, que teria importunado sua esposa em sua ausência”.

Em depoimento, o acusado disse que foi ofendido por Luiz e pelos amigos dele. Thiago relatou que se identificou com policial militar. “Nessa oportunidade [o réu], mostrou sua arma, no que foi retrucado por um dos jovens, que disse que eram da quebrada e que também tinham arma”, diz um dos trechos do processo.

Um amigo de Thiago conseguiu convencê-lo a sair do local. O ex-aluno disse que seu veículo foi interceptado por dois indivíduos. “Um permaneceu mais à frente do seu veículo e outro foi até o lado da porta do passageiro e gesticulou no sentido de que retiraria uma arma da cinta, levantando a camiseta”, diz. De imediato, Thiago fez uso de um revólver Taurus calibre 380, que estava no meio das suas pernas, e disparou contra o jovem.

Logo depois, o ex-aluno retornou à sua cidade de origem. Somente depois de alguns dias ele resolveu se apresentar à Polícia Civil de Piraju.  

Por conta do crime, Thiago foi expulso da escola e, desde setembro de 2014, permanece preso preventivamente no Presídio Militar Romão Gomes, na capital.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

CDU discutirá permanência de barraca e cruz na Praça Ataliba Leonel

Integrante do órgão questionou a legalidade do comércio no local

O Conselho de Desenvolvimento Urbano (CDU) deve se reunir nos próximos dias para avaliar se a lei de tombamento da Praça Ataliba Leonel está sendo desrespeitada. De acordo com o presidente do órgão, Mariano Ribeiro, dois conselheiros questionaram a instalação da barraca de tapioca e da Cruz das Santas Missões no local.

Jorge Marcelo da Silva trabalha há mais de 11 anos na praça (FOTO: Expresso Piraju)

Ainda segundo Ribeiro, a câmara técnica do CDU será acionada para exarar parecer sobre o questionamento dos membros. Se a maioria dos conselheiros entender que há ilegalidade, tanto a barraca como a cruz deverão ser removidas.

Conforme divulgado pelo Expresso Piraju, o conselho iria se reunir na última sexta-feira, 17, para discutir os assuntos, porém a reunião foi cancelada em virtude da falta de quórum. A data da nova reunião ainda será agendada.

PREOCUPAÇÃO

O comerciante Jorge Marcelo da Silva, 28, está preocupado com o futuro da barraca de tapioca. De acordo com ele, o comércio existe há mais de 11 anos na Praça Ataliba Leonel e, até então, nunca foi objeto de questionamento.

Ele espera que os conselheiros levem em consideração o fato de a tapioca ser um produto cultural. Além disso, Jorge alega que, no passado, recebeu autorização da prefeitura para trabalhar na praça. 

A Cruz das Santas Missões foi instalada pela comunidade católica (FOTO: Expresso Piraju)