>

domingo, 31 de janeiro de 2016

Associação Protetora dos Animais de Piraju apura denúncia no Doreto

Cadela teria sido agredida com um pedaço de madeira

Um morador da Rua Argemiro Lalli, Loteamento Doreto, foi denunciado por maus tratos na tarde de ontem, 29. Segundo informações da Associação Protetora dos Animais de Piraju (APRAPI), uma funcionária pública filmou o acusado agredindo uma cadela.

No detalhe, o acusado pelas agressões aparece segurando um cabo de madeira 

No vídeo (abaixo), o homem aparece sentado numa cadeira em frente a uma casinha para cachorro. É possível ver o acusado movimentando um cabo de madeira na direção da casinha. Embora as imagens tenham captado apenas os gritos de um cachorro, é possível inferir que o objeto foi usado para maltratar o animal. 

“Também é possível constatar que, mesmo vendo a reação do cachorro e o fato dele estar acuado dentro do abrigo, o morador não cessa o ato de violência”, diz um dos voluntários da entidade.

A associação apurou que o suposto espancamento ocorreu
quando o animal estava embaixo de um tanque
(FOTO: Expresso Piraju)
Acompanhada da Polícia Militar, a APRAPI visitou a residência para apurar a denúncia. Questionado pela entidade a respeito do teor do vídeo, o homem disse que “apenas estava brincando com o cachorro”. 

Segundo a associação, as informações prestadas pelo acusado se mostraram desencontradas, uma vez que ele estava sob efeito de álcool.

A APRAPI verificou que dois cachorros e dois gatos vivem residência. Os animais estavam aparentemente bem, inclusive a cadela que teria sido vítima das agressões. Contudo, a associação flagrou a ração dos animais disposta de maneira insalubre e ainda descobriu que nenhum dos bichos estava vacinado.

Um dos cachorros apresentou sinais de medo quando foi acariciado pela entidade, fato que vem ao encontro da alegação dos vizinhos de que o morador constantemente agride verbal e fisicamente os animais.

Animal que teria sofrido as agressões não apresentou
nenhum tipo de lesão, porém demonstrou
um comportamento amedrontado (FOTO: EP)
A Polícia Militar registrou o boletim de ocorrência e orientou a APRAPI a procurar a Polícia Civil nesta segunda-feira, 1º, para dar andamento na denúncia. 

De acordo com a associação, as provas estão sendo reunidas para embasar as investigações da melhor maneira possível. A entidade também deve registrar a denúncia no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), já que a situação encontrada na residência fere o disposto na lei municipal nº 3.057/2007.

“A APRAPI agradece a sensibilidade e a presteza dos policiais Toledo, Rubens e Eduardo durante a ocorrência. O apoio da polícia é fundamental nos casos em que a associação encontra dificuldades para dialogar com as pessoas denunciadas. Não podemos deixar de agradecer a disposição da servidora que fez a denúncia. Vamos até o final com esse caso”, finaliza a APRAPI.

CONFIRA O VÍDEO


Comente com o Facebook:

Nenhum comentário: